Young woman studying at the library

AUTOCONHECIMENTO: ONDE ENCONTRO O MEU?

Agradecimentos especiais à Dominique Vieira, colaboradora do Projeto + de 30¹, e a todos os profissionais e pessoas incríveis que participaram das lives das Jornada do Autoconhecimento¹ e ampliaram meu campo de visão (e de tantas outras pessoas) sobre este tema.

As reflexões sobre o autoconhecimento tiveram início há milhares de anos, desde a Grécia Antiga, sendo uma das melhores referências, a expressão “Conhece-te a ti mesmo”, comumente atribuída a Sócrates².

Contudo, o termo tem se tornado mais popular nas últimas décadas, impulsionado por diversos fatores, como:

– Expansão do mercado de autoajuda³: Sem o intuito de tecer opiniões a respeito, o fato é que, independente da motivação – seja para relaxar, ou buscar resolver crises de saúde como depressão, ansiedade ou ainda crises financeiras, os livros de autoajuda permanecem em alta há vários anos. Para se ter uma ideia, apenas no Brasil, entre os 15 livros mais vendidos em 2019, 14 eram de auto ajuda, pessoal ou financeira.

Origem da psicologia positiva4: Segundo Martin Seligman, há pouco mais de 30 anos a psicologia deixou de trabalhar apenas com o ‘modelo da doença’, ou seja, de buscar soluções apenas para pessoas doentes com “problemas” para ajudar também pessoas comuns a serem mais felizes, através da denominada psicologia positiva, o que deu origem a novas perspectivas de análise e evolução do ser humano.

Difusão de outras abordagens e terapias alternativas5: Terapias integrativas e sistêmicas como Reiki, ThetaHealing ou Constelação Sistêmica são bons exemplos. Todas têm em sua essência a atuação no campo energético do indivíduo e buscam auxiliar as pessoas a entenderem melhor padrões de comportamento, exercitarem a aceitação e saírem do papel de julgadores ou de vítimas, encontrarem o equilíbrio e terem mais qualidade de vida.

Evolução do conceito de liderança e de profissionais especializados em coaching: Estas áreas vêm se transformando ao longo dos anos e contam com profissionais cada vez mais especializados, que utilizam métodos e ferramentas de análise de traços de personalidade, para mapear características e motivadores das pessoas a fim de auxiliá-las a canalizar pontos fortes e desenvolver pontos de vulnerabilidade. Ainda que muito do que se conhece sobre coaching seja direcionado à área profissional, há muitos coaches que realizam treinamentos e consultorias de forma ampla, ou seja, que beneficiam também outros aspectos da vida das pessoas, além da profissional6.

– A internet: Todos sabemos o quanto o “mundo online” mudou nossa perspectiva não só de aprendizado, mas de questionamentos sobre o que sabemos. A autonomia de buscar e distribuir conteúdos globalmente, ter acesso a diversas ideias, teorias e movimentos possibilitou avanços extremamente importantes em diversas áreas, inclusive as que tratam de autoconhecimento. Quer um exemplo simples? Ano após ano, a preocupação com diversos temas socioambientais tem ganhado cada vez mais aderência globalmente7, o que indica uma percepção maior das pessoas a respeito de autoresponsabilidade, que faz parte de uma das camadas do autoconhecimento.

– Contexto atual: Analisando o cenário mais recente, ou seja, a pandemia em que vivemos, podemos citar também o isolamento social como impulsionador para um novo caminho, diferente do que uma parte da ‘geração das redes sociais’ incentiva (olhar para a vida e realidade do outro)8.

Desta forma, internalizar-se ao invés de externar-se começa a ganhar um novo e benéfico sentido, e a busca pela essência vem ganhando relevância sobre a busca da perfeição, muitas vezes irreal, e a ostentação de bens massivamente publicadas. E as redes sociais também têm sido cada vez mais utilizadas por profissionais dispostos a criar uma rede mais saudável e um ambiente fértil de temas relevantes para as pessoas e para a sociedade.

Agora, se você chegou até aqui e se sentiu um pouco frustrado (a) porque têm dúvidas do quanto realmente tem uma visão clara a respeito de quem você é, ou se sente perdido (a) sobre seus objetivos, ideais e propósito de vida, saiba que não está sozinho (a). Segundo dados recentes do estudo global O que é realmente o autoconhecimento (e como cultivá-lo)9, apesar da maioria das pessoas acreditarem que se conhecem bem, apenas uma média de 10% a 15% são realmente autoconscientes. 

Espantado (a)? Calma. Há muitas formas e possibilidades de mudar este cenário, começando pelo entendimento do que é o autoconhecimento, e quais são os possíveis caminhos para começarmos, de fato, a nos tornar autoconscientes.

Nas últimas semanas, através do Projeto + de 30¹ e da oportunidade de buscar conteúdos, refletir e conversar com outros profissionais e especialistas de diversas áreas sobre este assunto e sobre o impacto do autoconhecimento em vários aspectos de nossa vida, encontrei alguns achados bem interessantes:

Autoconhecimento – o que é afinal?

Há linhas de pensamento que variam sobre esta definição: Algumas o conceituam como o desenvolvimento da capacidade individual de ter clareza de seus valores, aspirações, comportamentos e sentimentos; outras afirmam que o verdadeiro autoconhecimento é a soma de dois contextos: como a pessoa se vê, e como as pessoas ao seu redor a enxergam sob os mesmos aspectos; e há ainda uma linha que define o autoconhecimento como o momento em que o indivíduo consegue se desapegar de tudo que aprendeu sobre o mundo e sobre si mesmo, para encontrar sua verdadeira essência.

Contudo, ainda que sob diferentes lentes de percepção, seja através dos conteúdos que tive a oportunidade de ver e ler, ou nas lives realizadas no P+301, boa parte dos profissionais e pessoas que “acessei”, concordam em alguns pontos:

 – Autoconhecimento tem um começo, mas não tem um fim. É um processo contínuo, pelo simples fato de que somos seres em constante evolução. Temos valores, crenças e hábitos que podem mudar de acordo com as experiências que vamos acumulando ao longo da vida, pelo ambiente em que vivemos, pelas situações que presenciamos e pelas pessoas com as quais convivemos. O que faz com que tenhamos a necessidade de nos revisitar, e muitas vezes nos questionar quem somos, como podemos melhorar, e qual nosso papel nas relações que mantemos e no mundo em que vivemos. 

– Quem decide iniciar esta jornada, de corpo e alma, perceberá que este é um caminho sem volta, pode ser trabalhoso, e algumas vezes difícil, mas também repleto de benefícios intrapessoais e interpessoais. Voltando ao estudo global sobre autoconhecimento anteriormente mencionado9, a pesquisa realizada sugere que evoluir neste processo contribui para nos tornar mais criativos, tomar melhores decisões, construir relações mais fortes, nos comunicar de forma efetiva, e de forma oposta, nos torna menos propensos a mentir, enganar, ou mesmo roubar (pasmem!).

E, segundo os profissionais que passaram pelo P+301, também pode auxiliar a nos tornar profissionais mais produtivos e realizados, pessoas emocionalmente mais equilibradas, conscientes e empoderados (as) nas relações com o outro e conosco (mente, espírito e corpo), e mais confiantes e em paz com nossas escolhas.

Processo de Autoconhecimento – como começar?

Se você achou que eu teria um caminho certo e definitivo para indicar, sinto em decepcionar. 

Ainda que haja uma evolução importante no sentido de entendermos o que é e o quanto somos autoconscientes, não há uma receita única que funcione para todos. Pode-se afirmar que o processo de autoconhecimento é uma ciência empírica (o que não a torna menos válida, muito pelo contrário), visto que as motivações, momento de vida e necessidades individuais são específicas para cada pessoa. Assim, cada método também é experienciado de maneira única, e pode ser mais ou menos efetivo a depender de quem a vivencia.

De qualquer forma, a intenção legítima de iniciar esta jornada já é ter de se deparar com ao menos duas de suas camadas: o autocuidado de buscar entender o que você precisa neste momento, e a autoresponsabilidade de assumir que esta caminhada é sua, e que só você pode dizer o quanto está sendo produtivo ou não.

Ainda que esta seja apenas uma reflexão inicial sobre um tema tão relevante e profundo, elenco alguns aprendizados que levo comigo desta jornada:

– Parafraseando o Juliano Caravela em sua live sobre Meditação no P+301: O autoconhecimento verdadeiro começa quando começamos a nos questionar.

– É autocuidado, mas não adianta esperar um benefício imediato. Não é como fazer uma mudança de visual ou uma massagem relaxante (que são também autocuidados importantes!). É necessária muita dedicação, e depende principalmente de nós para surtir o efeito desejado.

– Autoconhecimento não é necessariamente sobre encontrar uma resposta certa para cada pergunta, mas sobre abrir espaço para novas perguntas, e ampliar nossa visão para novas possibilidades, a fim de continuamente aprimorar nossa autoconsciência e busca de ser uma versão melhor de nós mesmos.

Por fim, há uma infinidade de possibilidades para buscar o autoconhecimento, e ser pré-conceituoso a qualquer um deles é privar-se de evoluir como ser humano, então se dê esta oportunidade. 

Tenha em mente que não há um processo único e certo. O importante é iniciar este processo.

Para conferir as lives e conhecer mais sobre cada profissional e temas tratados no Projeto + de 30 acesse o insta: @projetomaisdetrinta

Lives realizadas na Jornada do Autoconhecimento:

  • Episódio 1: Bruna Munhoz – Especialista em Psicologia Positiva e Coach
  • Episódio 2: Haline Lopez – Terapeuta Holística
  • Episódio 3: Viviane Varandas – Terapeuta Sistêmica
  • Episódio 4: Lina Molina – Terapeuta do Natural Feminino
  • Episódio 5: Carol Fonseca – Coach Ontológico
  • Episódio 6: Patrícia Amato – Artista Plástica
  • Episódio 7: Juliano Caravela – Poeta da Experiência
  • Episódio 8: Priscila Arcanjo – Nutricionista Esportiva e Wellness
  • Episódio 9: Dani Cunha – Consultora de Bem Estar
  • Episódio 10: Fernanda Arjona – Taróloga 

Por Aline Souza
Consultora de Consumer Insights e Pesquisa de Mercado

15 anos em Pesquisa de Mercado e Consumer Insights, atendendo grandes clientes em Trackings (estudos contínuos), estudos de posicionamento de Marca e efetividade de Comunicação, desde o planejamento até a entrega final, incluindo apresentações e treinamentos em clientes.
Experiência em diversas metodologias como: Neurociência para avaliação de Marca e Comunicação, Hábitos e Atitudes do Consumidor, Estudos Digitais, Social Listening & Analytics, Estudos de Satisfação e projetos Ad-Hocs.
Atendimento a uma ampla variedade de segmentos como HPC, Setores de Beleza e Cosméticos, Financeiro, Varejo, FMCG, Telecom e Automotivo.
Idealizadora do Projeto + de 30, plataforma de conteúdo colaborativo e aprendizado sobre diversos temas para pessoas que buscam melhorar suas relações – com si mesmas e com o mundo.
Consultora de Consumer Insights e Pesquisa de Mercado, palestrante em eventos e professora na ESPM.
Já trabalhou na Nielsen Consumer Neuroscience, Kantar Millward Brown, Ipsos e Kantar TNS.
Formação acadêmica: Bacharel em Propaganda e Marketing pela Fundação Cásper Líbero e MBA em Marketing pela PUC-SP.

Instagram: @projetomaisdetrinta 

+55 11 98231-6767

LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/alinecns/

Referências Bibliográficas: Lives Projeto + de 30 com profissionais da área, sites e artigos relacionados: 
1 – https://www.instagram.com/projetomaisdetrinta/channel/
2 –https://meuartigo.brasilescola.uol.com.br/filosofia/conhecete-ti-mesmo.htm
3 – https://revistacult.uol.com.br/home/nao-saber-de-si/  
 www.correiodopovo.com.br/arteagenda/g%C3%AAnero-autoajuda-domina-lista-das-obras-mais-comercializadas-no-brasil-1.392262 
4 https://www.ted.com/talks/martin_seligman_the_new_era_of_positive_psychology
Quem é Martin Seligman
5 – www.febrap.org.br
www.youtube.com/watch?v=-ggJefymJiY
https://nominuto.com/noticias/comportamento/a-constelacao-familiar-e-sua-aplicacao/180057/
 www.reikiuniversal.com.br
 www.reikinocampus.com
www.projetomosaicohumano.com.br/reiki-como-ferramenta-de-autocuidado-e-autoconhecimento
www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/42737
6 –  www.appana.com.br/coaching-ontologico-o-que-e/
7 – Artigo Marcas com Propósito: https://gente.globo.com/marcas-com-proposito/
Artigo O poder das marcas com propósito:  www.meioemensagem.com.br/home/opiniao/2019/09/25/o-poder-das-marcas-com-proposito.html
8 –  www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2020/04/18/isolamento-inspira-o-olhar-para-si-mesmo-voce-sabe-como-fazer-isso.htm
www.bbc.com/portuguese/vert-fut-47625592
https://tvbrasil.ebc.com.br/reporter-visual/2018/08/padroes-inatingiveis-nas-redes-sociais-podem-causar-depressao
9 – https://hbr.org/2018/01/what-self-awareness-really-is-and-how-to-cultivate-it

Tags: No tags
6

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *