Varejo de Moda: inspirar para converter

As lojas virtuais do segmento de moda vem ganhando cada vez mais espaço no comércio eletrônico do Brasil. Com o omnichannel se tornando realidade no Brasil, grandes marcas que até então apostaram em marketplaces ao invés de e-commerces monomarca, hoje entendem que a presença digital além do marketplace é fundamental para a sobrevivência do negócio. O funil de compras linear, que tanto se estudou, mudou, e hoje a grande questão é: O que realmente influencia a tomada de decisão do comprador online? Hoje, é preciso inspirar.

De acordo com dados e pesquisas divulgados pela “The Future Shoppers 2019”, a inspiração para a compra pode vir de todos os lados. A presença digital das marcas é essencial, é preciso estar em todos os lugares onde o público-alvo possa estar, pois a inspiração e o impulso para a compra pode acontecer enquanto se conversa com amigos em um aplicativo ao mesmo tempo que se navega nas feeds de redes sociais ou no meio de leituras e pesquisas em sites favoritos. O mundo digital é hoje um mercado de varejo e serviços gigante, com inúmeras opções de compra, e é aí que entra o poder das marcas.

Pelo menos um terço dos compradores digitais recorrem aos sites (e lojas físicas) de suas marcas favoritas para pesquisas, o que mostra lealdade às marcas na busca de inspiração de compra. Marcas de moda, apesar de recorrerem às grandes varejistas quando se trata de receita, tem uma grande vantagem em vender direto aos consumidores. Neste formato de trabalho, sites de monomarca mantém o controle do serviço, trabalham com foco na experiência do consumidor, e têm controle sobre informações que hoje valem ouro: os dados dos clientes.

Segundo pesquisas realizadas pela The Future Shoppers, hoje não existe uma preferência clara para quais canais os compradores digitais preferem usar em suas pesquisas de inspiração (é importante lembrar que não estamos falando de compras de necessidade, onde o consumidor identifica um problema e busca por um produto para solucioná-lo, e sim de compras de inspiração, de desejo). Buscadores como Google, Bling e Yahoo! são citados, mas não são protagonistas, o que indica que se as marcas e os varejistas querem estar nos lugares certos para inspirar o início de uma jornada de compra, é preciso adotar uma abordagem omnichannel. É preciso estar nas redes sociais (principalmente nos stories!), desenvolver conteúdo exclusivo, oferecer experiências para os clientes em loja física, em eventos, estar conectado com os parceiros corretos…e tudo isso sem descartar o básico: SEO bem feito sempre e Marketing Digital afiado para estar no topo dos mecanismos de busca e pesquisas “tradicionais”.

Os desafios do setor são grandes, os players são gigantes, mas a inspiração do cliente pode vir pelos detalhes. Público-alvo bem estudado, conteúdo criativo, testes e acompanhamento de resultados para novas apostas são a chave para engajar clientes e ganhar verdadeiros fãs. Nesse sentido pequenos empreendedores e pequenas marcas tem muito a ensinar (e inspirar) com ações como vendas personalizadas no What App, stories trabalhados diariamente, cultura de testes e jogo de cintura para mudar estratégias rapidamente e sempre que preciso. O segredo é simples: 1% inspiração e 99% mãos à obra!

Fernanda Weber

Coordenadora de Ecommerce

1 comment

  1. Deyse Laporte

    Excelente artigo. Parabéns!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *